Nascem as 3 primeiras extensões do Chrome

O Google Chrome deu mais um passo para enfrentar Internet Explorer, Firefox, Safari e Opera. Três extensões experimentais para o navegador já estão na web. Nenhuma delas pode ser chamada de espetacular, muito menos se compara a qualquer um dos milhares de complementos disponíveis para o Mozilla Firefox. Sua criação, mostra, contudo, que o desenvolvimento do browser do Google está avançando a uma velocidade supersônica. Não vai demorar muito até que o software tenha ferramentas suficientes para abocanhar um grande naco do mercado. As três extensões disponíveis na web por enquanto só funcionam na versão para desenvolvedores do Chrome. Ou melhor, funcionavam. Quando o programa evoluiu para da versão 2.0.XX para a 3.0.XX, dois dos três complementos sumiram da barra inferior do browser nos testes que fizemos na INFO: o Subscribe in Google Reader, para assinar RSS, e o BuildBot Monitor. Ainda dá, no entanto, para instalar o útil Gmail Checker, que mostra quantas mensagens estão na caixa de entrada do webmail. Quem optar por fazer isso deve primeiro ativar o canal de desenvolvimento do Chrome, baixando o Chrome Channel Changer – como diria o filósofo Silvio Santos, é por sua conta e risco. Depois, é necessário clicar com o botão direito no atalho do Chrome e, no final do campo “Destino”, acrescentar o termo –enable-extensions. Pronto. É só executar o browser clicando no atalho e entrar na página onde os complementos estão disponíveis. Clique em “Install” e voilà! Ao contrário do Firefox, não é necessário reiniciar para que a extensão funcione. Nos primeiros estágios, todo esse processo era ultracomplicado e dividia-se em intermináveis etapas. Agora, depende de apenas um clique. Para remover o complemento, também não há mistério. Basta digitar chrome://extensions e, depois, clicar em “Uninstall”. E agora, panda vermelho? E agora, Bill Gates?

Fonte: Info Online

Jolicloud – Você nas Nuvens

Estou abrindo com este post uma série de posts sobre este novo tema Computação em Nuvem. O pessoal do Jolicloud em seu manifesto acreditam que a computação em nuvem trata-se de um movimento. Trata-se do barateamento de sistemas computacionais, serviços online tão bons quantos os offline, e preços mais baixos do Mbps trazendo um “movimento” dos arquivos do computador pessoal para a “nuvem”.

Já a um tempo usamos serviços assim (eu, particularmente, utilizo muito os serviços do google), tais como o docs, mail, reader, calendar (todos do google). O dropbox veio para armarzenar os meus arquivos e fazer um sincronismo entre a minha casa e o trabalho. E por último o plugin do Firefox Xmarks joga pra nuvem os meus favoritos do firefox permitindo-me tê-los em qualquer máquina que tenha um firefox e acesso a internet.

Acesso à internet é o ponto chave. Infelizmente na minha cidade (Fortaleza – Ceará) as empresas responsáveis pelo fornecimento do acesso cobram absurdos pelo mesmo. Algo em torno de R$ 100,00 a R$ 120,00 pelo mísero 1Mbps. Mas, fora a minha indignação, vemos a velocidade de acesso aumentar substancialmente. Isso com certeza ditará o movimento sugerido pelo pessoal da jolicloud mais do que o nível de segurança. Este será exigido pelas empresas que resolverem se mudar para a nuvem.

Voltando ao Jolicloud, confesso que gostei muito da interface e achei-a intuitiva. Voltado para os famigerados netbooks. No site temos algumas imagens do SO, o manifesto e o hardware que suportam atualmente. Baseado no Ubuntu Netbook Remix, compatível com Linux, Windows, AIR e com aplicações web têm suporte Flash e Gears para web offline.

Mais informações: Jolicloud

TuxGuitar sem som no Intrepid

Ontem um amigo meu, Thiago, me falou de um programa chamado TuxGuitar para rodar arquivos do bem-legal GuitarPro. Muito bom o programinha, mas tive problema com o som. Encontrei a solução no fórum do programa. Segue a dica:

“Tente instalar alguns plugins:
sudo apt-get install tuxguitar-jsa tuxguitar-alsa

você pode também instalar timidity para sons melhores:
sudo apt-get install timidity

então inicie o tuxguitar, vá em “Ferramentas -> Configurações”
e na seção “Sound”, selecione uma MIDI Port.
você pode selecionar “Timidity 128:0”
de, “Java Sound Synthesizer” se você quiser sons da velha versão 0.9.1.

Até a próxima.

Categorias:HowTo's, Linux Tags:,

Bug checkbox e radio button no Firefox 3 – KDE + KUbuntu Linux 8.10

Peguei esta dica de um companheiro Carlos Henrique no VOL.

Após atualizar o meu sistema para Kubuntu Linux 8.10, percebi que no Firefox 3 as checkboxes e os radio buttons ficam com um retângulo em volta quando clicados. Para solucionar esse problema siga os passos abaixo:

1. No shell digite:

$ sudo apt-get install gtk2-engines-qtcurve

2. Após a instalação, abra as Configurações do Sistema e vá até a opção Aparência;

3. Clique em GTK Style and Fonts;

4. Do lado direito em GTKStyle selecione QtCurve;

5. Clique em Aplicar e reinicie o X.

Pronto, problema resolvido!

Valeu galera.

Ubuntu System Panel

Na busca de modificar o menu principal do gnome no ubuntu, achei esta dica no fórum do Ubuntu, muito boa esta dica. Agradeço ao colega que a fez.

“Olá a todos, para quem gosta do Ubuntu System Panel, resolvi traduzir o tutorial de instalação dele, o qual pode ser encontrado aqui:
http://code.google.com/p/ubuntu-system-panel/wiki/Installation

AVISO: Se você estiver rodando o compiz/beryl será preciso definir o foco para “Nenhum” para usar o USP (Ubuntu System Panel).

Para realizar a instalação, é necessário que você possua o Subversion, caso não possua faça o download dele através deste comando:
sudo apt-get install subversion

Crie um diretório para baixar o USP nele, e use o comando cd para ir nele, no meu caso usei a pasta SVN com este comando:
cd Área\ de\ Trabalho/SVN

E use este comando:
svn checkout http://ubuntu-system-panel.googlecode.com/svn/trunk/ ubuntu-system-panel

Este comando irá baixar todos os arquivos do USP, após terminar o download, use este comando para ir para a pasta baixada:
cd ubuntu-system-panel

E para instalar, use este comando:
./usp_update install fresh

Pronto, você instalou com sucesso o USP, agora clique com o botão direito no painel, clique em Adicionar ao painel…, vá até o final da lista e adicione o Ubuntu System Panel.”

Modem para banda larga via rede elétrica vai custar R$ 100

Equipamento, que está sendo desenvolvido na Universidade Federal de Juiz de Fora, será produzido no Brasil para diminuir custos.

Como era se esperar, a oferta de banda larga pela rede elétrica em São Paulo, que será feita pela AES Eletropaulo Telecom, e em Curitiba, feita pela Copel, não são fatos isolados.

A guinada rumo ao PLC depende também do modem. Não é possível imaginar consumidores adotando a tecnológia se o preço não for acessível – hoje, importado, este aparelho custa em torno de 400 a 500 reais.

A Universidade Federal de Juiz de Fora está desenvolvendo um modem nacional com preço de 100 reais e com velocidade atual de 500 MB na camada física.

“A idéia é que seja barato. Queremos uma solução com qualidade, feita em território brasileiro, que facilite a popularização”, conta Moises Ribeiro, coordenador do projeto. Ele acrescenta que a velocidade do modem pode “facilmente” subir para 700 a 750 MB na camada física.

Com a produção nacional de modem, a oferta de banda larga pela rede elétrica poderá ter valores mais acessíveis do que as tecnologias de TV a cabo e ADSL.

Para o projeto, a universidade recebeu pouco mais de 1 milhão de dólares da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e parceria de empresas privadas. A produção em escala, relata, deve começar a acontecer em 2010.

O professor Ribeiro destaca que o modem vai funcionar tanto para indoor quanto outdoor. “O seu acoplamento permite isso”, disse. Ele destacou também que “haverá dispositivos para transportar os sinais de ambientes indoor para outdoor”.

Fonte: Computerworld

Pidgin Atrás de um Proxy

3 setembro, 2008 1 comentário

Faz uns dias que eu estou com um probleminha. Tenho uma conta do Google Talk e um para o messenger, mas não quero usar dois programas para gerenciar os contatos das duas contas. Achei o Pidgin para fazer isso, mas como tenho um proxy na empresa não estava conseguindo logar através dele. Com misturas de algumas dicas consegui fazê-los funcionar. Segue a configuração abaixo.

Em Ferramentas, na guia Rede, no item Servidor Proxy, habilite: Usar configuração do ambiente.

Em Contas, Gerenciar contas, escolha a conta a ser modificada.

 

Messenger

Em Avançado, habilite Usar método HTTP, e em Opções de proxy, escolha Usar configuração global de proxy.

 

Google Talk

Em Avançado, habilite Forçar SSL antigo (porta 5223), em Porta de conexão, altere para 443 e em Opções de proxy, escolha Usar configuração global de proxy.

 

Até a próxima.